Pôster Eletrônico

22/11/2021 - 09:00 - 18:00
PE41 - Epidemiologia social e determinantes sociais em saúde (TODOS OS DIAS)

33415 - FATORES AMBIENTAIS E SOCIOECONÔMICOS DA CHIKUNGUNYA EM FORTALEZA
DANILO CIRINO MUNIZ DO NASCIMENTO - UFC, PATRÍCIA VERÔNICA PINHEIRO SALES LIMA - UFC, MARIA ELISA ZANELLA - UFC


Nos anos de 2016, 2017 e 2018, Fortaleza teve um total de 53.732 casos confirmados de Chikungunya, com casos em todos os bairros da cidade. Objetivos: O objetivo do estudou foi extrair, por ordem de importância, os fatores socioeconômicos e ambientais que melhor explicam a incidência da doença em Fortaleza. Métodos: Trata-se de uma análise dos casos confirmados de Chikungunya no município de Fortaleza entre janeiro de 2016 e dezembro de 2018, totalizando 53.732 casos. Os dados foram obtidos da Célula de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde de Fortaleza, e foram tratados por métodos estatísticos. Os fatores ambientais e socioeconômicos foram extraídos e hierarquizados por meio de Análise Fatorial. Resultados: O modelo estimado mostrou que os fatores que melhor explicam o número de casos de Chikungunya em Fortaleza foram: o Fator Socioeconômico, o Fator Infraestrutura, o Fator Saneamento e Fator Densidade, nessa ordem de importância. Conclusões: Como resultado, é necessário frisar a importância das políticas públicas de caráter social, que dão à população melhores condições de vida e possibilidade de ascensão social, para que esse indivíduo possa melhorar suas condições de moradia, sua renda e, por conseguinte, reduzir sua vulnerabilidade à doença.

Trabalhos Científicos

Veja as regras para envio dos resumos e fique atento aos prazos.

SAIBA MAIS
Programação Científica

Consulte a programação completa das palestras e cursos disponíveis.

SAIBA MAIS
Informações Importantes

Informe-se!
Veja as últimas notícias!

SAIBA MAIS